Agressividade e absurdo nas novelas e séries feitas com a prata da casa.

É impressão minha ou todas as novelas e séries de produção nacional são desde a sua origem um "nicho" de libertação de frustrações nacionais? Não notam que todos os personagens têm sempre uma agressividade crescente uns para os outros?

Se há uma personagem que diz algo, a outra responde logo com "3 pedras na mão" e assim por diante. E se forem séries para os jovens então a sensação aumenta em consonância com as hormonas da juventude. Mas será que os nossos jovens andam mesmo assim totalmente agressivos e irónicos uns para os outros ou são só os "jovens" das pretensas escolas inventadas da linha de Cascais (lá estou eu novamente com isto da linha)?

É que me parece que os problemas existenciais desta malta só se verifica nessas zonas e mais uma vez tudo o resto é paisagem. Se vão a bairros da lata ou problemáticos é apenas para mostrar as misérias e nunca mais lá voltar. Aproveitam a miséria humana para se auto-promoverem e depois não voltam a contactar com as pessoas desses bairros (Isto agora foi um pouco fora de tópico mas entrou aqui bem).

E a questão de todos os personagens no geral não terem trabalhos reais, ditos normais... aflige-me um bocado. Estes mundos criados nas novelas orbitam em torno de "profissões" que realmente não dizem nada a nós pequenos "mortais". Eles são actores parasitas e pretensiosos(claro), advogados frustrados (que nunca defendem coisa nenhuma), engenheiros desempregados (das obras feitas), arquitectos de interiores com tendências gay (de contruções virtuais), publicitários (de anúncios inúteis) e dondocas que ficam o tempo todo sentadas no sofá a ler revistas cor-de-rosa e a emitirem opiniões daquelas que só apetece vomitar. Afinal quem escreve estes guiões frequenta que tipo de mundo? O dos sonhos ou da realidade?

A meu ver, penso que a medíocridade na representação global dos personagens é tão grande que essa agressividade apenas se pode entender pela competição acirrada entre protagonistas em séries de qualidade inferior. Só em termos de comparação: que tem a mais uma Dakota Fanning ou um miúdo nascido e criado cá no burgo? A Dakota tem cabeça, braços, corpo e pernas como os nossos miúdos, mas não tem encenadores medíocres como os que temos na nossa televisão ou cinema. Por isso os nossos rapazolas são agressivos por serem tão burros que nem estudar a sério para actores sabem... ou não podem coitados.

Sempre ouvi dizer que quem não sabe, tem medo do saber... e, em suma, é o que se passa com estes jovens que pensam que sabem e têm a mania que se metem em tudo e são muito dinâmicos, mas na realidade a mente deles está confinada à actualidade que lhes é filtrada e nem sequer têm tempo para pensarem em mundos e realidades paralelas.

Amigos, digam-me o que pensam deste assunto e se realmente estou a ver a questão como deve ser ou apenas a acordar de um pesadelo "encenado" :-)

Comentários

Teresa Coutinho disse…
Quanto a novelas e séries televisivas, não me posso pronunciar porque não vejo nem sei do que tratam. Posso referir que noto um aumento da violência na vida em geral, basta ver os telejornais e tomar atenção ao aumento de crimes e cada vez mais graves que vão acontecendo por todo o país, devido à conjuntura social, imigração ilegal ou ambos os casos.

Na minha opinião (e de muita gente), o país já nos habituou à política dos brandos costumes e não está a saber lidar com este aumento de criminalidade. Mais grave ainda, são as leis que são aplicadas nestes casos, que denotam uma benevolência ou até protecção a todos os que praticam crimes ou violam a lei. Refiro-me mais exactamente a altos criminosos que por falhas da própria lei, acabam por sair em liberdade.