As crianças do Estado Português... verdade ou consequência?

Este tema foi simpaticamente sugerido por uma amiga que trabalha no meio... a questão das crianças retiradas aos pais e colocadas à guarda do Estado.

Segundo ela (e mais uma vez reafirmo que é a opinião de uma pessoa que exerce a sua actividade profissional no sector público como assistente social), as crianças que são retiradas aos pais servem única e exclusivamente para o governo conseguir mais e melhores subsídios da União Europeia, canalizando posteriormente essas verbas para outros fins, deixando apenas algum dinheiro para a educação, alimentação e estadia mínimas.

Os brinquedos são reaproveitados de coisas que as pessoas ingenuamente oferecem quando já não precisam e assim se poupam mais uns "cobres" para ajudar o Orçamento-Geral do Estado.

Mas não se iludam meus amigos... o que o governo pretende na verdade é criar imagem pública de modo a ser bem visto e manter ou se possível aumentar a sua "fatia de mercado" nos eleitores. Igualmente criando e protegendo mais crianças, mais impostos irão entrar o futuro... ou seja, as instituições que guardam as crianças, são apenas quintas de "engorda e crescimento" para novos contribuintes.

Vamos mostrar mais humanidade em toda esta questão e deixar a parte económica um pouco de lado, pois somos pessoas e não números.

Meus amigos, não alimentem esta hipocrisia que cresce dia-a-dia e façam ouvir a vossa voz contra este estado de coisas. Digam de vossa justiça o que pensam desta questão.

Comentários