A lei anti-tabaco foi umas das melhores coisas que o Sócrates fez implementar!

Ao menos a uma coisa eu tenho de tirar o chapéu ao Sócrates... forçou a implementação da lei anti-tabágica com relativo sucesso (digo relativo porque tal como muitos caiu na sua própria "armadilha").

Eu sou uma acérrimo defensor de tudo o que for anti-tabagismo em Portugal e no mundo. E não me venham dizer que as pessoas têm o direito de escolher e tal... pois eu acho que NÃO. Nesta matéria a lei foi bem introduzida e aplicada... só peca por tardia e coxa em alguns casos.

Umas pessoas têm o direito de escolher... claro... e então as outras que estão perto delas? Não têm também o direito de escolher a opção "mais saúde"? E o que é afinal mais natural nisto tudo, fumar ou não fumar? Para mim é NÃO FUMAR!

Se os fumadores querem morrer mais rapidamente que morram, mas não arrastem os vizinhos do lado com eles, por isso concordo com todas a medidas que o governo implementou neste campo à excepção da possibilidade de alguns espaços escolherem serem para fumadores. Todos os espaços públicos (sem excepção) deveriam ser para não fumadores. PONTO FINAL!

E quanto às ajudas do governo para os fumadores deixarem de fumar... acho mal... o resto dos contribuintes não têm culpa que uma parte da população tenha caído na armadilha do tabaco. Eu pelo menos não quero pagar a recuperação de um fumador ou tóxico-dependente, pois sei que mais cedo ou mais tarde eles voltarão a cair na mesma senda de auto-destruição. Todas as verbas aplicadas desse modo são um desperdício de erário público.

Já sei que vou ser crucificado pelos fumadores que irão ler esta mensagem, mas enfim não se pode agradar a "gregos e a troianos"... portanto que comecem as injúrias, vá...

Comentários

Teresa Coutinho disse…
Felizmente deixei de fumar à alguns anos e sei o que é suportar o fumo do tabaco dos outros. Quanto às medidas deste nosso governo, não fez mais do que a obrigação. Se por um lado proibe o fumo em certos espaços, por outro, gasta rios de dinheiros no tratamento para se deixar de fumar (como se algum tratamento fosse milagroso e impedisse as pessoas de fumar).