OBAMA OLÉÉÉÉ!!!!!

Numa onda de alegria e esperança no futuro do grande país que são os Estados Unidos, Barak Obama foi eleito por esmagadora diferença de delegados em relação aos republicanos conservadores.

Não me vou aqui alongar com considerações que já foram sobejamente esgotadas por toda a midia internacional. Só queria mesmo deixar aqui o meu aplauso e respeito por uma campanha que apesar de algumas gafes menores, pautou-se sempre pelo respeito ao adversário e pela consciência das dificuldades de um país que já foi grande mas que actualmente se sentia pequeno e frágil.

Mas essa América que se sentiu em tempos grande... conseguiu essa grandeza de uma forma violenta, egoísta e muitas vezes encapuçada. Ser grande significa fazer as coisas desta maneira? Pois se é assim a definição americana de ser grande... eu não gosto da América feita desse modo. Será que Obama vai manter esta tradição de secretismo na tentaculação das relações americanas com o mundo? Espero que não. Sinceramente espero que Obama seja mais aberto e mais inteligente (qualquer um que não seja republicano consegue-o ser) que Bush.

Clinton pode ter sido um devasso e um adúltero, mas a América nessa época brilhou em termos económicos devido à acumulação de riqueza e bem-estar social. Isto tudo devido a uma coisa muito simples: paz. Sim a paz e a sua estabilização dos processos sociais, permitiu que a riqueza americana não fosse desbaratada em equipamentos bélicos e em operações sem sentido causadas por pessoas ainda menos inteligentes a que usualmente chamamos republicanos.

Pois se Clinton foi o que foi e possibilitou que a América crescesse aos olhos do mundo, para quê incidir a sua actuação numa mesquinhez de um acto próprio de um humano, homem ainda por cima. O presidente americano não é nenhum deus, mas sim uma pessoa de carne e osso com vontades, virtudes e falhas de carácter como qualquer outro.

Se olharmos para as estatísticas de escândalos sexuais, financeiros e sociais em ambos os lados das trincheiras políticas americanas, conseguimos notar que os republicamos ganham em toda a linha nesta questão. Portanto e mais uma vez... VIVA A AMÉRICA DE CLINTON, DE OBAMA E DOS DEMOCRATAS!

Comentem, saúdem, chorem ou regozijem-se... mas mostrem-se! Eu sei que vocês "andem" aí...

Comentários

Teresa Coutinho disse…
De mau, passou a bom de um dia para o outro. Não é por uma ou duas pessoas que se pode rotolar um país. Apesar de todas as dificuldades, a América é um grande país, se está a passar por momentos menos bons, depressa saberão resolvê-los.
Oriente Antigo disse…
Eu se pudesse tinha votado nele, ja sabia que ele ganhava e muito bem! Apoio tudo que seja mudanca!
bogardan disse…
Sim. Ele é um sinal de mudança, uma orientação, uma força tão poderosa como foi Kennedy. E a questão é: Será que o vão deixar fazer o que ele tem de fazer?
A tarefa é hercúlea, o pormenores são vastos e têm de ser trabalhados numa perspectiva global pois estão todos interligados numa teia de interesses. Ele é especial, e já está a rodear das pessoas da era Bill Clinton e a colocar pessoas que irão fazer diferença nesta era que agora começa. Os próximos anos vão ser "lições" de entreajuda, responsabilidade e deveres, direitos... Só espero que nós Portugueses estejamos atentos para aprender com este grande HOMEM (Sim, ele é um homem) e através de energia que ele emana para alterar o rumo das nossa vida como cidadão neste país. YES, WE CAN!!!