Duplo trauma... dupla oportunidade.

Estava eu a ler algumas coisas acerca do processo de pedofilia na Casa Pia, quando me assaltou uma questão que eu acho que ninguém se tinha lembrado até agora: será mais benéfico para as alegadas vítimas expôr isto tudo em tribunal ou manterem-se caladas?

Sei que isto é um tanto polémico, mas também se não fosse não o iria incluir aqui. :-)

Bom prosseguindo com a dissertação, não seria suficiente o facto de as alegadas vítimas terem servido de "pasto" para os predadores sexuais, ainda têm de o vir expressar na "praça pública", sofrendo assim uma dupla exposição e eventual duplo trauma. Passo a explicar: se o tal trauma que dizem ter sofrido era tau mau, porquê vir expôr isto tudo e sofrer um ainda maior e mais brutal no seio da opinião pública de quem agora não se conseguem esconder. Passarão a ficar rotulados de "coitadinhos", "traumatizados", etc. Será que é algo vantajoso?

Para além disso trouxeram a Casa Pia para as bocas do mundo como uma instituição que afinal seria degradante e não construtiva. Os últimos acontecimentos, levam a crer que a estrutura não está tão bem como em outros tempos, apesar de toda a segurança instalada pós-processo. Afinal noto que as coisas retrocederam em vez de avançarem e hoje em dia a falta de segurança mesmo dentro da instituição é apelativa à intervenção de forças portentosas.

Uma coisa que não sei se vocês notaram, mas sempre me referi às vítimas neste artigo como alegadas vítimas por uma boa razão: eram todos bons rapazes, que iam para onde iam, conscientes do que iam fazer e se eventualmente algum não gostava, ninguém lhe apontava uma arma à cabeça para lá voltar concerteza, no entanto todos eles voltavam para mais uma "noite de diversão e farra" e regressavam com roupas de marca, jóias, telemóveis carregados, ténis e até alguns com "scooters". Serão mesmo vítimas ou alegadas apenas... ou até oportunistas do acaso?

Nunca o saberemos, pois aquelas cabeças actualmente estão mais interessadas em fazer os alegados agressores serem espremidos por mais uns quantos patacos e pelo tempo que passaram com eles ou talvez o que lhes pagaram durante anos não teria sido suficiente para lhes suportar os vícios pessoais e agora que não têm empregos decentes tentaram cobrar mais um pouco, tipo balão de oxigénio numa vida que eles próprios não conseguiram construir e resolveram aplicar a culpa em outras situações. E com isto não estou a concordar com a parte dos agressores, apenas a dismistificar a parte que ninguém se lembra: o oportunismo das alegadas vítimas.

Comentem e deixem-me as vossas opiniões acerca do assunto.

Comentários