Batalha perdida...

No canal "História" passou uma reportagem acerca da eterna batalha entre o "bem" e o "mal", entre "Deus" e o "Diabo", entre os "céus" e o "inferno", etc... como lhe quiserem chamar. Ora no meu entender essa batalha não ocorre a esse nível mas sim entre as populações da Terra devido ao excesso de população e à intromissão que desde tempos imemoriáveis as populações de um certo país ou território, exercíam em outros povos geograficamente distantes.

Por exemplo, a cultura dos Estados Unidos exerce uma influência nefasta na cultura do Médio Oriente tentando impôr as suas características numa zona que é desde sempre o maior "caldeirão" de culturas e civilizações que há memória. Pergunto-me eu: que direito tem um povo que nem se pode considerar assim, já que é derivado de uma das maior hordas de emigração alguma vez existente, de se imiscuir nos assuntos de uma zona que desde há milhares de anos continua a produzir ódios e guerras por pedaços de "deserto"? O que tem tudo isto a ver com "Deus" e o "Diabo"? Para os locais dessas zonas tem tudo a ver, mas para os chamados americanos, nada... tudo tem a ver com "ouro negro" - o petróleo.

Ora as guerras entre o "bem" e o "mal" sempre se iniciaram como pretexto para outras coisas e não para realmente combater o "mal" ou o "diabo" ou qualquer outra coisa sobrenatural. Tudo se inicia sim, por questões de ódios, questões económicas ou racistas. Nada mais.

A humanidade ao longo dos tempos sempre arranjou desculpas para iniciar conflitos onde eles não existiam antes, na sua ânsia de expansão de qualquer tipo de interesse e depois chamar-lhes guerras "santas" ou de outro tipo baseado na religião, mas sempre com algo dissimulado politicamente.

A bíblia preconiza um final catastrófico para o mundo, mas neste caso temos de analizar que tipo de mundo está a bíblia a falar... obviamente que com o crescendo de população a nível mundial, crescem as tensões, a fome e a tentativa de sobrevivência... isto nada tem a ver com religião, mas sim com a sobrevivência do mais forte e da tentativa do mais fraco de se precaver das investidas dos mais fortes. O que tem isto a ver com algo bíblico? Tem sim a ver com senso comum e racionalização de situações.

Apenas as pessoas menos atentas a estas coisas podem "atirar" estes assuntos para planos metafísicos e seguí-los como manifestações de um ente divino preparado para destruir um planeta apenas com a força da sua vontade. Nada disto se processa dessa maneira, mas sim através do ódio, tipicamente humano, pelo seu semelhante. Pela inveja, egoísmo e devassa dos territórios de outras nações na ânsia de enriquecimento por apropriação dos recursos minerais, hídricos ou culturais de outros povos. É assim que o fim do mundo e dos tempos já há muito se manifesta e preconiza e não através de desígnios divinos. Ponto final.

O apocalipse será entre todos nós, povos da Terra, e não na descida dos céus de um ser divino para julgar todos num tribunal absurdamente gigantesco onde a esmagadora maioria iria ter de se resignar com um futuro de "chamas agonizantes" enquanto uma minoria se iria deliciar nos "prazeres celestiais". Quem acredita nisso não passa de um idiota chapado e devia ter o seu cérebro drenado por uma sonda "divinamente extraterreste". Amén!

Comentem ou deixem as vossas opiniões "flamejantes" que eu aceito tudo... bem haja a todos.

Comentários