Second Life... "bullshit"...

Durante a frequência de um curso que fiz recentemente, um dos trabalhos que tínhamos de fazer era criar uma personagem no mundo virtual "Second Life" e tentar encontrar algo para fazer por lá em termos de educação virtual.

Por mais de uma vez tentei introduzir-me nesse mundo e por mais de uma vez desisti daquilo... porquê? Bom em primeiro lugar pelo absurdo a que chegámos em termos de tecnologia e em segundo lugar, novamente pelo absurdo que é viver uma vida que não é a nossa vida real.

Este mundo virtual parece-me (e vindo de um informático esta afirmação pode parecer estranha) astronomicamente estúpida e algo infame para nós espécie humana. Mas esta é a minha opinião e quem sou eu para questionar toda a dinâmica já incutida dentro desse mundo.

Numa das aulas virtuais que encontrei, estava uma "professora" totalmente excitada com o que dizia acerca de uma matéria qualquer que não percebi, mas cuja atitude era tão focalizada, que me interessou apenas pelo absurdo dessa mulher viver uma vida que não é a dela, enquanto na sua vida real era uma professora desempregada e sem qualquer esperança de reconstruir a sua vivência profissional.

Nesse momento, "bateu-me" algo no cérebro e pensei: estou cansado de toda esta treta a fingir... e decidi que prefiro viver e aprender no mundo real e retirar dividendos (sejam eles, pedagógicos ou financeiros) de pessoas a quem possa ver a cara.

Em alguma altura temos de "desenhar a linha" que nos divide do absurdo e para mim já chega em termos de tecnologia... o "eLearning" é o máximo que eu posso fazer sem me dispersar demasiado e perder o rumo à minha vida.

Espero que com isto não me chamem de retrógrado, mas o que é demais é demais e já há muita coisa que me custa a encaixar, pois não tenho maneira de desenhar mentalmente soluções tão complexas e tão derivadas para apresentar aos meus clientes... nem tenho a certeza que os meus esforços iriam ter qualquer tipo de resposta por parte deles.

Obrigado por terem "escutado" este desabafo e comentem pois estou a necessitar saber o que pensam deste limite psicológico.

Comentários

Anónimo disse…
Não concordo com nada do que escreves, acho que deves te procurar informar antes de retirares esse tipo de sentenças desta forma que como tu proprio dizes é retrogoda.
Lamento é a minha opinião baseada em anos de experiência.
Tenta te informar sem medo do desconhecido.

Cumprimentos.