Número dos abusadores...

Um título não muito apelativo para uma atitude generalizada igualmente não muito correcta.

Não sei o que deu de repente às áreas de assistência técnica de todas as empresas (até a Pizza Hut Takey Away também embarcou nessa), que decidiram adoptar indicativos 707 para sacar mais uns cobres aos incautos cidadãos que não se informam acerca dos custos de utilização de números desta natureza.

Porque motivo temos de nós de pagar pelas falhas de facturação destes grupos empresariais? É uma solução fácil disponibilizar apenas e somente um número telefónico desta natureza, fechando totalmente o acesso rápido a uma assistência que antes era grátis (já tínhamos pago o produto e por isso tínhamos direito a ela através do indicativo 800) ou pelo menos através de chamadas locais (através do indicativo 808).

Querer facturar adicionalmente com o infortúnio de ter apanhado um produto defeituoso ou mais tarde ele ter avariado é ilógico, desumano e oportunista... se as empresas não têm capacidade de oferecer um suporte pós-venda grátis então não vendam nada. Esse tipo de suporte telefónico (com indicativo 707) só deveria ser, eventualmente, disponibilizado depois do término da garantia (2 anos para mercado residencial e 6 meses a 1 ano para o mercado profissional). Assim já tinha a sua lógica, pois o cliente aí já sabe que está ao sabor de todo o tipo de custos associados.

Gostava de ver a DECO anunciar uma análise a este tipo de números abusadores da boa-vontade dos consumidores. Eu pela minha parte já apresentei uma sugestão a partir do seu site.

Comentem acerca da vossa posição neste assunto e se acham justo o que esta gente nos anda a fazer mesmo à frente dos olhos e sem qualquer tipo de reacção por parte das entidades oficiais ou dos media.

Comentários