Betos, Betas e "animais" afins...

Em tempos escrevi um artigo sobre uma "tribo urbana" que tem sido um sucesso de polémica neste "blog": Chungas e Chungaria.

Porque em muitas das mensagens flamejantes que tão delicadamente me deixaram nesse artigo, apelidavam-me de "beto" só porque não pertencia ao grupo dos "livres de pensamento e de acções"... bom, nesse seguimento, deixo aqui exposta a minha visão acerca do que penso dessa outra "raça" diametralmente oposta à "chungaria": betas, betos e "animais" afins... isto é para vocês...

Esta é uma das "raças" (tribos sociais) que eu considero mais giras e engraçadas: os filhas da puta de sapatos de vela e que só usam roupa vermelha, azul ou branca. Isto acontece, primariamente porque são as cores da Tommy Hillfiger, marca de predilecção especial e pedra de base da filosofia de vida do "beto".

É claro que todos nós já nos fartámos de ver os putos cabeludos, porque cabelo comprido, seja liso ou aos caracóis fica bonito de qualquer maneira, com a tromba carregada de borbulhas, de aparelho nos dentes, a pedirem um café e um copo de água numa pastelaria... Isto é absurdamente repetitivo.

E quando saiem à noite, vão carregados de pastilhas elásticas e perfume, porque os paizinhos quando os vão buscar à meia noite e meia com os seus brutos carros topo de gama, podem sentir o cheiro do tabaco. Tabaco, porque droga nem pensar, a não ser que fumem o "charutão" (claro que antes de o fazerem, há uma enorme discussão sobre o tipo de filtro a utilizar: enrolado assim e assado e o car"#$% que os fo#$%!) logo de seguida usem as milagrosas gotas de Visadron nos olhinhos para a mamã não notar. Entretanto, conseguem convencer os pais a irem para casa de alguém durante um fim de semana nas férias de Verão, e apanham uma carraspana fenomenal, vomitam o esqueleto, e ocasionalmente vão parar ao hospital para serem lavadinhos por dentro e ficarem uns dias a secar.

E há sempre uma ou duas, que com a bebedeira que estão vão mandar umas quantas com o primeiro gajo que lhes aparece à frente, o que é giro, porque ficam sempre com uma historia podre de que ninguém pode saber, pois põe em causa a reputação.

No caso dos gajos, esses competem para ver quem consegue levar a tampa menos agressiva, porque um camafeu daqueles com os copos, tem tantas hipóteses de ter relações sexuais, como eu de acertar numa moeda de 1 cêntimo a 100 metros de distância. No entanto,se alguém lhes perguntar, todos eles foderam.

Agora vem a parte do desporto...

Desporto, desporto, car"#$%, mas qual desporto? Espera lá... deve haver um... calma... bem, adiante...

A parte das asneiras que os choca e então a elas ainda pior. Uma cara"#$% e meia e elas quase que choram, eles acham-te uma besta quadrada e sem educação nenhuma, no entanto, com 2 cervejas mal bebidas e um "shot", porque os "shot's" dão muita moca, não conseguem comer um cachorro sem se sujarem até aos cotovelos (verídico).

A merda do desporto ainda não me saíu da cabeça...

Aaahhh já sei... a praia... o local de eleição... as betas andam vestidas de calças de ganga e top... eles trazem os seus fatos de surfista, as pranchas e uns calções enormes, porque os surfistas andam assim. A prancha raramente se molha, são precisos 4 para um gajo vestir o fato e quando vão "apanhar umas ondas" o mais que fazem é ficar a mijar atrás da rebentação (isto se lá conseguirem chegar alguma vez sem levarem com 3 ou 4 "sets" em cima e serem "esmagados" pela força do mar).

Chegam a terra depois de caírem 7 vezes da prancha abaixo no espumaço e dizem que o mar não estava bom. Pelo caminho um gajo numa prancha de "bodyboard" quase que os corta a meio (a eles e à prancha)...
São agora necessários 7 para tirar um fato. Estão exaustos e cansados. Vão para casa tomar banho e vestir as suas adoradas calças Tommy, a "t-shirt" da Tommy e claro a camisola da Tommy. Encharcam-se no seu perfume Tommy e saiem de casa para ir ao café comer uma tosta e beber mais um cafézinho com um copinho de água.

As betas vão pra casa, lavam os pés e calçam umas botas. Tomar banho estraga o penteado.

E pronto, com esta descrição da "minha atribuída raça", penso ter ficado ilibado de pretensas ilusões de muita gente em incluír-me na classificação de "beto". Sou apenas uma pessoa que trabalha, tem problemas como toda a gente e tenta subsistir num país onde o governo nos rouba descaradamente e se não fizer por isso... não sobreviverei. Gostaria, que quem me atribui esses nomes, pudesse ao menos ter tido metade da vida que eu tive até agora e ter os amigos espalhados pelo mundo que eu possuo tão carinhosamente no meu coração.

Comentem este novo artigo quanto mais não seja para equipará-lo ao tão famoso "Chungas & Chungaria".

Comentários

Paula Veiga disse…
Adoro os teus artigos cientificos sobre as racas humanas, como me considero pertencente duma minoria nao encaixo em nenhuma das categorias, ou talvez tenha um pouco de todas. Dos betos, confesso que gosto de ir a praia tambem mas estou sempre dentro de agua e fico com o cabelo bastante molhado. Tambem gosto de usar perfume. E ja apanhei carraspanas. :)
HomerJ disse…
Obrigado pelo comentário tão simpático Paulinha :) Eu tento fazer por escrever artigos com linguagem acessível e sem muito traquejo técnico para que todos possam entender o melhor que conseguirem :) Se não for entendido deste modo... olha não sei como fazer :D