Fim do mundo...

O fim do mundo está à nossa porta. Apesar da data oficial para algo acontecer já ter passado há cerca de 1 dia, o fantasma desse cataclismo continua a pairar por cima das nossas cabeças, tal como nuvem carregada de chuva que teima em não cair.

Sentimo-nos divididos... por um lado queremos que, de algum modo, algo aconteça e por outro, sentimos de tal modo um pânico tão forte de que a raça humana acabe, que todos falamos ou dizemos piadas sobre o facto  para aliviar a crescente pressão que se desenvolve dentro destes nossos limitados cérebros.

Sim digo limitados porque nem todos têm a capacidade ou o discernimento para pensar por si próprios gerando um raciocínio que deveria ser comum a todos nós: a consciência colectiva. Com esta capacidade, que não mais seria do que pensar e racionalizar as questões, olharíamos com outros olhos para uma pergunta que muitos povos no passado gostaríam de ter visto respondida: irá o mundo acabar mesmo na data que todos afirmam em histeria colectiva?

Racionalizando mais um pouco, devemos concerteza colocar em perspectiva este conceito de "acabamento do mundo". O que significará exactamente este medo? Terá a ver com algum dos cataclismos que a seguir descrevo?

  1. Embate de um asteróide com a Terra: um asteróide desgarrado e vindo sabe-se lá de onde (muito provavelmente dos confins do universo ou mais concretamente da chamada Cintura de Kuiper) embate com a Terra e do embate resulta a extinção de toda a vida animal e vegetal no planeta;
  2. A estrela Sol entra na fase de Gigante Vermelha: no fim da sua função de gerador de vida na Terra, o Sol entra na sua fase de expansão para Gigante Vermelha e nessa senda "engolirá" os planetas com órbitas mais próximas do centro do sistema solar: Mercúrio e Vénus. A Terra será o novo Mercúrio, na fase mais alargada da expansão do Sol, o que irá obliterar literalmente e mais uma vez, toda a vida que ainda restar nessa altura;
  3. Colisão da Via Láctea com a galáxia Andrómeda: sim isto irá acontecer certamente pois as duas estão em rota de colisão e a nossa galáxia irá ser absorvida por Andrómeda... mas só daqui a muitos biliões de anos, portanto daqui não temos muitas razões para aflições imediatas (devemos em primeiro lugar preocupar-nos com o ponto 2, se ainda por cá andarmos);
  4. Chegada do famoso planeta Nibiru: muitos afirmam ser verdade e outros tantos afirmam ser apenas uma fantasia ficcional de mentes conturbadas. Seja como for, a teoria em si não é de todo descabida uma vez que, segundo as lendas (claro está), de X em X anos acontecem cataclismos poderosos por toda a Terra e coincide com a passagem do pretenso planeta Nibiru próximo da órbita da Terra, pervertendo toda o equilíbrio electromagnético natural existente nos corpos celestes que compõem o nosso sistema solar;
  5. O próprio Homem: esta sim é a causa de maior preocupação, e mais imediata do que qualquer dos acontecimentos celestes acima descritos. A humanidade tem gosto em se autodestruir e destruir o seu habitat. Por vezes demonstra alguma compaixão para depois poder "esmagar" quem se deixa enganar pelos pretensos benfeitores. Toda a desgraça do mundo assenta nos ombros da humanidade e continuará a ser assim por muitos anos no futuro, se não existir uma verdadeira consciência ambiental e hereditária para as gerações que herdarão este planeta.
Se esse medo não tiver como raíz estas questões então não é algo que necessite ser considerado ou que percam o sono a pensar nele. Simplesmente porque não representa um perigo real e desse modo podemos concentrar as nossas energias em algo mais profícuo. 

Retomando a racionalização anterior, quais de vocês acham que será o mais provável motivo para a destruição da "nave espacial Terra"? Um evento celeste ou uma guerra mundial gerada pelo Homem na sua ânsia de mais poder social e económico? Eu decerto votarei na segunda hipótese e decerto irá ser a nossa desgraça mais imediata e contemporânea.

Para, talvez, a maior parte das pessoas, estes cenários de nada servirão porque não estão vocacionadas para entender estas alterações a um nível tão global, no entanto, servirão como alerta para activar a sua consciência e com isso talvez melhorar o entendimento que possuímos da orgânica estelar e de como ela nos afecta diariamente. 

Comentem acerca desta minha perspectiva do que será o mergulhar da raça humana e do nosso habitat numa espiral de extinção sem fim à vista.

Comentários