Anglicismos pedantes...

Modas como o "running", "jogging", "cycling", "walking" e outros conceitos idioticamente mantidos artificialmente como anglicismos na nossa língua, andam a minar-me a paciência.

De repente até as rádios mais famosas em Portugal mencionam tudo isto não como "correr", "andar de bicicleta" ou, pasme-se, simplesmente "andar" mas sim uma ciência inventada por algum imbecil a trabalhar numa qualquer agência de publicidade.

Todos nós, desde sempre, fizemos isto e lembro-me em criança ter feito muitas mais coisas que se calhar ainda não houve nenhuma "mente brilhante" que traduzisse o conceito para inglês. O pretensiosismo é de tal forma evidente que os mais abastados adquirem "sapatos de corrida", "veículos de cycling" ou passeios de "walking" com os amigos ou parceiros, enquanto as pessoas com mais magros rendimentos "passeiam" no jardim ou na calçada com sapatilhas ou alpercatas de marca branca ou "ciganex", compram bicicletas em saldos para os filhos e quanto ao "running" limitam-se a "correr" para a paragem do autocarro, do barco ou do metro.

De repente, todas as ruas, calçadas ou estradas deste país transformaram-se em pistas de corrida com toda a gente com algum objectivo de chegar mais longe, mais depressa e com mais acessórios pendurados à sua volta. Sim... porque não chega pegar em si e ir apenas desfrutar do passeio ou da volta de bicicleta. Tem de ir equipado até aos dentes com todo o tipo de equipamentos desde as usuais "iTretas" até à mais recente moda do "podómetro". Todo o tipo de penduricalhos tecnológicos têm de ser levados ou não vá aparecer algum "O.V.N.I." pelo caminho e não nos levar por nos faltar algum tipo de "gadget", antena ou localizador G.P.S.

Uma ida ao ginásio para se fazer algo que se pode fazer cá fora gratuitamente também é objecto da maior ciência atómica. Temos de possuir o último grito em ténis para todo o tipo de actividades, roupa adequada, bebidas energéticas, toalhas de matérias amigas do ambiente, etc. Tudo em nome de um corpo cada vez mais seco, sem gorduras e revitalizado. em que loucura de mundo vive esta gente que pensa que vai viver para sempre ou pelo menos ter uma vida mais saudável até "bater as botas"? Não reparam que já vivem numa rotina cíclica que lhes retira vida e fragiliza os orgãos internos com tanta bebida artificial?

Coloquem a vossa opinião acerca desta questão que me faz achar que já ninguém vive relaxadamente mas correm para recuperar o tempo que nunca possuíram.

Comentários