Novelas imbecis...

A saturação de novelas nas televisões portuguesas é de tal forma intensa que me parece que em vez de competirem por histórias credíveis e acção próxima da realidade, apostam em idiotices como famílias de alto nível com vidas que em nada se aproximam da realidade de cada um de nós e as filmagens parece que só empregam actores que interpretam papéis e cenas onde a tentativa de representar uma realidade alternativa é evidentemente... nada real.

É patético observar a forma como se deslocam pelo cenário, como representam as personagens e como pretendem inventar histórias que não representam o dia-a-dia dos portugueses que são diariamente martelados pelas novelas dos vários canais.

Os diálogos são de uma falta de imaginação atroz. Não representam de todo a vida das pessoas ditas normais e duvido que existam famílias cujas vidas sejam frívolas e desocupadas ao ponto de não representarem um exemplo digno de ser retratado numa novela transmitida em horário nobre numa TV portuguesa.

As cenas de pretensiosismo sucedem-se a um ritmo desconcertante e servem de base a representações de vidas que são ocas, inúteis e de todo um exemplo a seguir. São cenas que descrevem negócios na área da publicidade, empresas que devem produzir muito pouco trabalho ou empresários liberais que, supostamente, personificam a "fina flôr" do tecido empresarial português e das famílias mais abastadas.

Pergunto eu: quem é que realmente se interessa por estas questões em pleno poder das suas funções cerebrais? Que tipo de pessoas gastam tempo a seguir a "vida" irreal idealizada por argumentistas claramente sob o efeito de drogas ou alcoolizados? Lembro-me de ver alguns episódios dos "Morangos com Açúcar" e de me questionar: será que os jovens de hoje realmente pensam e agem deste modo? Isto porque no meu tempo de jovem não pensava em imbecilidades como as que vi retratadas nesses poucos episódios que vi. Pensava em criar negócios e conduzí-los como empresário e dar oportunidades de trabalho aos meus amigos mais directos. Será que os jovens são, actualmente, tão frívolos no que entendem do mundo e das relações?

Provavelmente são e isto tudo que penso é apenas a minha idade a tornar-me mais maduro e sensato. Tenho de rever esta situação de imediato. Não quero pensar como um velho mas também não quero pensar como um cabeça-oca inconsequente. Pena não saber como as pessoas se tornam argumentistas ou mesmo encenadoras, pois eu teria muito a "dar na cabeça" deste actores que de natural não têm nada.

Discutam comigo o que pensam e sentes sobre o assunto... espero pelas vossas opiniões.

Comentários