Trabalho infantil regressa em força III...

Em tempos escrevi aqui 2 artigos sobre trabalho infantil e sobre a exploração da imagem infantil em prol da publicidade e da moda. O mais polémico a nível mundial foi o que apresento a seguir: (http://polemicasincomodas.blogspot.pt/2011/08/trabalho-infantil-levado-ao-extremo.html).

Parece que a Vogue não aprendeu nada e agora voltam à carga com a mesma menina, desta vez com 12 anos, na tentativa de explorar mais um bocado a imagem da pré-adolescência como ideal de beleza para a mulher, comparando-a com a magríssima Kate Moss.

Existiu muita agitação nos media na altura em que esta menina, na altura com 10 anos, apareceu na capa da revista em causa mas depois rapidamente a coisa esmoreceu ao ponto de nunca mais se ouvir falar nada acerca disto.

Provavelmente existiram algumas consequências directas para quem teve a ideia da campanha e de colocar a criança na capa em tais propósitos tão sexualizantes, mas dá impressão que o assunto foi rapidamente abafado devido à Vogue ter sido acusada por diversas entidades mundiais de incentivar a sexualização precocemente.

De tal modo que agora o assunto renasceu com mais força ainda e desta vez com a menina de tal forma maquilhada que parece uma autêntica modelo em princípio de carreira. Mais uma vez as mesmas vozes de há 2 anos atrás se levantaram mas parece que não vai acontecer nada de especial uma vez que os pais concordam e aceitam com esta exposição mediática.

Várias questões, no entanto, se levantam: porquê esta menina em especial? Que pais possui para ter esta liberdade de posar para revistas tão elaboradas? Que passado teve? Como chegou ao ponto de aparecer nestas capas? Quanto ganharam os pais com estes trabalhos tão precoces? Que tipo de ética possuem os produtores da revista para acatarem este tipo de trabalhos?

A indústria da moda surge mais uma vez no centro de uma questão que os governos tentam dissuadir através de legislação pesada mas que pelos vistos pode ser contornada se os poderes económicos assim o entenderem. Existe justiça para uns e liberdade para outros. Que mundo tão distorcido onde vivemos...

O que me dizem vocês acerca desta problemática? A sexualização e exploração dos mais novos através da publicidade é algo que se possa aceitar ou pelo contrário é algo abominável?

Comentários