Swaggers...

Queria escrever algo épico, lógico e derradeiro acerca deste tema. Não consigo por achar que isto está, infelizmente, a alastrar como "fogo na estepe". Falo da moda "swagger" ou "swagger style". Penso que deve existir em algum ponto deste planeta uma autoridade máxima do mau-gosto que supervisiona todos estes jovens que se pretendem distinguir uns dos outros até à exaustão, vestindo roupas (trapos na sua maioria) que não jogam de todo umas com as outras e que vistas, na minha perspectiva, pertenciam a um caixote do lixo (nem sequer são dignas de serem colocadas em contentores de ajuda aos pobres).

No entanto, lojas como a cadeia de lojas Desigual ou marcas do estilo FuBu, vendem disto como "pãezinhos quentes" e aí é que reside a minha questão existencial: será possível cair mais baixo no mundo da moda do que já se chegou? Será possível cometer mais crimes contra o bom-gosto e a decência em termos de roupa para o dia-a-dia? Eu sei que já estamos num nível muito baixo neste aspecto, mas teremos chegado mesmo ao "fundo do poço"? Quando é que será que a sociedade em geral reage a isto, organizando-se contra as lojas que patrocinam esta loucura?

Vocês vão concerteza dizer que eu sou "quadrado" e "bota-de-elástico" e eu respondo-vos à letra: o bom-gosto é intemporal... isto é apenas uma moda passageira e... horrível. A mais idiota, imbecial e detestável forma de alguém se destacar da multidão através das suas vestes. Existe uma pergunta que gostaria de fazer a esta gente: PORQUÊ??????

Porque é que dinamitam a vossa aparência pública e social do modo como o fazem? Que tipo de família terão vocês para vos permitir (financiando na maior parte das vezes) comprar este tipo de roupas?  Filho meu, tenho a certeza que jamais o incentivarei a ser diferente, para pior. Terá sim que orientar a sua mentalidade para o trabalho esquecendo a vida desafogada que outros da mesma geração que ele, terão.

Quantos destes jovens que, vestem deste modo, são bem aceites em trabalhos de vários quadrantes? Devem ser muito pouco inteligentes para deixar escapar para o exterior esta moda horrível e sem nexo. Basta passar numa altura qualquer em frente de uma escola secundária para ver uma série de jovens competindo pela pior indumentária possível. Roupas que não jogam com nada, atitudes de "reis do bloco", ideais vazios de qualquer conteúdo, estar na escola ou na rua para eles é exactamente o mesmo com a agravante que para estar na escola é preciso levantarem-se cedo demais e é uma obrigação demasiado severa para quem tem como objectivo imediato, nada fazer na vida.

Tentam evidenciar-se pela negativa até pelas atitudes, senão vejamos um exemplo flagrante: jovens no passeio em atitudes agressivas para com os condutores que passam nos seus veículos e passa um desafortunado condutor que tem de travar a fundo para não atropelar um desses jovens que de repente salta para a estrada a fazer gestos de atiçamento de um touro na arena em frente do veículo. Quando o coondutor sai do carro para lhe pedir para sair com educação, os outros "amigos" desse jovem insultam o homem e quase o agridem. Quando o homem vê finalmente uma abertura acelera dali para fora sem antes levar murros e pontapés na viatura ficando com marcas desse encontro.

Que Portugal é este e para onde nos dirigimos? Que falta de educação ou de orientação familiar ou psicológica é preciso ter, para aparecerem atitudes e comportamentos desta magnitude? Será que os progenitores destes jovens não lhes deram a devida atenção quando eram pequenos e os deixaram absolutamente desamparados sem qualquer definição de vida? Tenho a certeza que sim.

Perder o foco de vida é bastante fácil e seguir esse caminho é tão simples como comer gelado às colheradas, mas o segredo e o gosto pela vida está em inverter estas situações e recuperar estes jovens para um caminho correcto (sempre que possível) e definido, útil para todos nós e quem sabe se nestas mentes não existirá um cientista com ideias que mudarão o curso da história da humanidade. De uma coisa tenho a certeza: enquanto estiverem do lado errado da sociedade, jamais saberão se são capazes de o fazer. Portanto, é melhor que se coloquem no lado correcto de modo a ter acesso a recursos que lhes alargam o horizonte, a qualidade e os objectivos de vida.

Gostaria de perceber da vossa parte quais as origens deste movimento que não entendo e se calhar é mesmo para não entender. Deve ser apenas algo "ao calhas" idealizado e executado de modo a dar trabalho e enormes preocupações a quem constitui a base da vida em sociedade.

Comentários

Elsa Barreto disse…
É caso para dizer, gostos não se discutem.. mas lamentam-se.