Moto-Susto...

Quem, como eu, circula vezes sem conta pela 2ª Circular de Lisboa, tem verificado, nos últimos anos, um crescente aumento dos veículos motorizados de 2 rodas (algumas até mesmo de 3 rodas). Com esse aumento, aumentou também o perigo de circular entre os milhares de automóveis que, diarimente, se acumulam naquela via durante as horas de ponta.

Não querendo dardejar o meu protesto contra ninguém em particular, nem sequer contra o tipo de transporte de 2 ou 3 rodas no geral, tenho de vir aqui a público apresentar a minha indignação para com o abuso, e muitas vezes, o perigo com que estes veículos circulam por entre as restantes viaturas, nas horas de ponta.

A agressividade e a falta de civismo com que muitos condutores deste tipo de veículos, apresentam, denota que existe necessidade de uma educação extrema sobre o que é circular numa via pública e ter respeito por todos os outros tipos de veículos que circulam na mesma via.

Desde empurrões com os pés, ameaças contra a integridade física dos intervenientes em acidentes, medo de circular etc., de tudo se vê nesta via central da capital de Portugal. Estes condutores de motos e motorizadas, possuem pouco respeito pelas "latas" (palavra com que se referem aos automóveis que circulam na mesma direcção). Chegamos a ter algum medo de circular tão perto desses energúmenos, sujeitos a levar com uma pézada ou pior... deitar algum ao chão e passar por todo o problema de lidar com o assunto e ainda bloquear todo o trânsito no sentido em que circulamos.

Para o menos atento poder-se-ia dizer que é apenas embirração, mas para quem vê todos os dias estes "Valentino Rossis" da via pública a acelerar por entre as vias de tráfego, sujeitando-se a um acidente grave ou estragando o dia a algum condutor de automóvel ou camião menos atento, diria que por vezes, existem motociclistas que merecem a sua sorte e até acho poucos os acidentes existentes que os envolvem e dos quais resultam a sua culpa.

Já sei que os leitores se vão revoltar contra a minha opinião e que eu só vejo um dos "lados da moeda" mas isso não é verdade. Tenho o maior respeito pela malta das "duas rodas". Só não tenho respeito pela malta que, sendo "chicos-espertos", se habilitam a ficar esmagados debaixo de um rodado de um dos muitos camiões TIR que circulam diariamente por essa via central da capital. Misturando isto com a casmurrisse de alguns condutores e temos aqui um belo "cocktail" explosivo que poderá redundar em tragédia e alguma das partes ultrapassar o nível do bom-senso,

Digam-me o que pensam deste problema real e se alguém o terá notado durante as horas-de-ponta nesta via central da capital. Noutras vias centrais do país, como a VCI no Porto, o problema também deverá ser muito parecido.

Comentários